A fup está com medo do voto direto dos trabalhadores?! (Eleição CA – 2012)

NARRAÇÃO + Texto – Medo do Voto Direto dos Petroleiros

Em virtude e graças à luta do trabalhador no Brasil, agora em 2012, poderemos eleger um representante dos trabalhadores para o Conselho de Administração da maior e mais importante empresa da América Latina!!!!

No entanto, em um atabalhoado processo eleitoral, comandado pela Gestão de RH da fup, perdemos uma grande oportunidade de fortalecermos nossas entidades Sindicais e Federações, devido aos prazos estabelecidos pela Comissão Eleitoral formada, massacrantemente, por integrantes indicados pelos gestores de RH da fup. O processo, relativamente às candidaturas dos Sindicatos e das Federações, perdeu peso democrático, devido à indicação dos mesmos ter se dado por reuniões de cúpula, representativas sim, mas, muito menos que se houvessem, pelos Sindicatos e Federações, eleições para a indicação do representante, com o voto direto de todos e por todos os trabalhadores em suas bases. Os Sindicatos e Federações, a representação da “classe trabalhadora organizada”, tem por obrigação “reintegrar” a massa de trabalhadores, pretensamente desorganizada – entendo eu, que mais excluída pelo sectarismo político-ideológico do que desorganizada – de modo a não reduzirem essas instituições a aparelhos políticos vazios de conteúdo, e por isso, antidemocráticos e alheios às necessidades e desejos de toda a categoria.

Nessa circunstância, nosso colega Moraes se apresentou como um candidato da FUP, competente e à disposição para novos desafios, de acordo com a sua trajetória política e disposto a proceder em favor de uma gestão democrática e transparente, relativamente a Petrobrás.

No entanto, o problema de sua campanha, de suas alegações, está no, transparente e democraticamente, pois, conforme sua gestão passada e atual na FUP, nem o direito de comentar, analisar ou contrapor, qualquer notícia ou opinião no site da FUP e ou de seus Sindicatos, está garantido.

Será que, com mais poder e espaço político para exercê-lo, a representação da FUP deixaria o trabalhador debater idéias e posturas de forma democrática? Ou, a partir de suas reuniões de cúpula, em seus Conselhos, ditariam novas derrotas aos trabalhadores?

Se nem o direito à opinião e ao debate tem espaço em sua Gestão na FUP, porque acreditaríamos que, se fosse eleito, mudaria sua prática de governança?

E, pior, pelo que temos acompanhado ao longo dos últimos 10 anos e, mais proximamente, pelo que acompanhamos na negociação da PLR, em Julho/Agosto de 2011, bem como na negociação do ACT 2011/2012, vimos a FUP, coordenada pelo nosso colega Moraes, impedir a União de toda a categoria petroleira, arrastar as negociações tanto da PLR quanto do ACT e, por fim, obrigar nossa categoria, forte e mobilizada e, mais do que tudo, com todos os méritos por seus Resultados e Lucros, a aceitar, primeiro, uma PLR rebaixada, e em seguida, com o mesmo tipo de atitude na negociação do ACT, o arrastar e derrotar os petroleiros pelo cansaço e pelo fato da chegada do natal e do ano novo e das decorrentes obrigações familiares. Devido à FUP, passamos mais um ano com uma PLR rebaixada, que nem considera os Resultados gerados, só uma parcela mínima dos Lucros; e um falacioso aumento “real” sobre um PCAC totalmente defasado. Permanecemos em um mundo de ilusões em que, por exemplo, nos falam que temos tido aumentos reais, mas os fatos são que temos tido que nos mudar para agüentar pagar nossos aluguéis e todos os demais custos do dia-a-dia. O trabalhador não é burro. Se nem com aumento real e por mérito na carreira, seu salário não tem acompanhado seus custos normais, esse aumento real é falso, frente à inflação, e o aumento por mérito não reconhece nem o mérito e nem o esforço dos trabalhadores.

Por tudo isso, as competências individuais de nosso colega Moraes não bastam como abalizadoras para que o trabalhador decida votar nele (não estamos discutindo a pessoa do Moraes, mas o instrumento que ele representa). No entanto, sua gestão na FUP e a postura da FUP contribuem, sim, e muito, para sua contra-indicação como uma opção que viria a fortalecer os trabalhadores. Além do que, como sabemos, a fup/RH, já tem voz e a maioria de acentos e votos no Conselho, e não deveria retirar esse espaço para a verdadeira voz coletiva e direta do trabalhador.

A fup já acusou o golpe e, autoritariamente, argumenta que somente candidatos do aparelho sindical, de histórica luta (tradução – nenhum novo empregado “aventureiro”) e apoiados pelos sindicalistas da fup, terão capacidade para atuar como o Conselheiro representante dos empregados.

A fup tem sido tão sectária, do jogo e discurso do, “somente nossos representantes são e serão legítimos, capazes e terão sustentação política”, que parece ter deixado de acreditar e prezar o processo do debate e do voto, não trabalha com e nem acredita na democracia. Controla muitos dos canais de comunicação com os trabalhadores e, de fato, impede o debate e a informação.

A FUP está com medo do voto direto dos trabalhadores, tanto dos mais experientes, quanto dos chamados novos empregados.

Na eleição para os Conselhos da Petros ficou demonstrado que os empregados novos começaram a perceber o jogo e os movimentos que fazem para lhes prejudicar, e os aposentados e aqueles empregados da ativa que se sentiram obrigados a repactuar demonstraram, no voto, o sentimento de injustiça.

A fup fingiu alegria com uma, das três vagas, mas engoliu uma enorme derrota política: considerando tanto os votos para o Conselho Fiscal quanto para o Conselho Deliberativo, as oposições ganharam 34.662 votos e a fup 18.893.

Portanto, que os dirigentes da FUP façam uma revisão histórica, e conformem suas políticas, discursos e práticas ao que, um dia, essa instituição significou para os trabalhadores. Somente, assim, quando indicarem seus representantes para novas eleições, todos os trabalhadores terão as mesmas como legítimas e representativas, e não como usurpadoras do direito de voz e voto, da categoria, no Conselho de Administração ou em qualquer outro fórum de representação da Categoria Petroleira.

Assim, escolha um candidato que seja independente do Governo, do Partido do Governo, do Sindicato do Governo ou da Federação do Governo para que, de fato, tenhamos um colega que nos represente!!!

Abraço a todos!!!

Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em Instrumentos e argumentos para o fortalecimento do trabalhador e marcado , , , , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

6 respostas para A fup está com medo do voto direto dos trabalhadores?! (Eleição CA – 2012)

  1. Pingback: Eleição de Trabalhador CA_Petrobras_2013 – Declaração de Apoio e Voto em Sílvio Sinedino | Blog do Petroleiro 2020

  2. Pingback: Demonstre, no voto, pela ação e não pela omissão, a sua posição – Eleição 2012 – CA Petrobras | Blog do Petroleiro 2020

  3. Nulidade das Eleições X Voto Nulo

    Leiam as confusões quanto a anulação das eleições (a nulidade das eleições) e o voto nulo em: http://www.quatrocantos.com/LENDAS/283_voto_nulo_branco.htm

    O Código Eleitoral – http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L4737compilado.htm

    Leiam os artigos 175 (voto nulo) e artigos 219, 220, 221, 222, 223 e 224 (nulidades do processo eleitoral) e constatarão que a anulação de uma eleição se dá pela fraude e outros impedimentos, à regular votação, de 50% dos votos mais 1.

  4. Resultado do Primeiro Turno da eleição para representante dos empregados no Conselho de Administração da PETROBRAS

    Caros,

    de 58.126 Eleitores, 16.597 Votaram.

    Os dois candidatos com maiores votações, Moraes e Sílvio Sinedino, tiveram, respectivamente, 2.939 votos e 1.376 votos.

    Resta, a todos candidatos, e especialmente, aos dois que disputarão o segundo turno e à Comissão Eleitoral, trabalharem para demonstrarem a importância dessa eleição de forma que a mesma ganhe o respeito dos trabalhadores e seus votos e, se torne, mais representativa.

    Aos colegas de todas as candidaturas independentes, parabéns !!!!
    Sem dinheiro e sem máquina eleitoral obtiveram a maioria dos votos nesse primeiro turno !!!!

    Assim, agora, de posse de seus votos, têm mais legitimidade e força política para mais atuarem e lutarem, tanto localmente, como de forma articulada, nacionalmente !!!!

    Bom trabalho e muita força !!!

    http://sindipetrolp.tempsite.ws/site/?p=11814&cpage=1#comment-5581

COMENTÁRIOS? Os faça no quadro abaixo. Caso queira responder a um comentário já realizado, clique no link "Responder" do respectivo comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s