Demonstre, no voto, pela ação e não pela omissão, a sua posição – Eleição 2012 – CA Petrobras

Se não votaram no 1º turno, procurem votar no 2º turno

O recado das urnas já foi dado pelos mais de 70% dos trabalhadores que não votaram, já no primeiro turno da eleição.

Tivemos uma Massiva Rejeição ao processo eleitoral e às organizações Sindicais.

O RH da FUP, mais uma vez, estruturou processo para desmoralizar e enfraquecer os Sindicatos e Federações: organizações de defesa dos interesses, necessidades e direitos dos trabalhadores.

As Federações já estão apequenadas frente aos resultados das urnas: receberam um terço dos votos válidos e não foram capazes de levar a maioria dos empregados a votarem.

Desse modo, entendo ser um ERRO votar nulo ou branco, pois ambos beneficiam a candidatura que compactua com esse atabalhoado processo eleitoral que, nesse caso, está representada pelo nosso colega Moraes.

Votar nulo ou branco não é ser contra ou do contra.

Votar nulo ou branco é escolher eleger o Moraes e manter a hegemonia da FUP que tem servido para derrotar os trabalhadores a cada ano. Ficaremos, pelo menos, mais um ano, derrotados na PLR, no ACT e em tudo mais que nos interessa como as questões de saúde e segurança.

Assim, se você entende que as coisas estão ótimas, que os trabalhadores têm sido honrados pelos lucros e resultados criados em favor do Governo e do País, vote no MORAES DA FUP.

E se você entende que as coisas não são e não estão como nas propagandas da empresa, que os trabalhadores NÃO TÊM SIDO HONRADOS pelos lucros e resultados criados em favor do Governo e do País, vote no SÍLVIO SINEDINO.

O dano às instituições, de organização dos trabalhadores, já foi desferido pelo RH da FUP.

O MORAES e a FUP se apequenaram nesse processo pelo voto direto dos trabalhadores.

Pior para nós trabalhadores. Temos nossa outra Federação apequenada, pois a FNP já sofria esta ação continuada pelo RH da FUP.

O RH da FUP está tentando matar dois coelhos com uma cajadada só: enfraquece a FUP e a elege para o CA. Nós, trabalhadores, ficamos com um pato manco e marionete nos representando.

Portanto, não afundemos mais nossas perspectivas, deixando de fazer uma opção e construindo a fantasia de que o voto nulo denuncia o processo eleitoral desigual.

A portaria e o regulamento eleitoral somente consideram os votos “válidos” para efeito do cálculo de maioria absoluta.
Assim, mesmo que a maioria absoluta dos eleitores votasse “em branco” ou “nulo” a eleição continuaria válida e seria decidida entre os votos válidos.
PORTARIA Nº 026 DE 11 DE MARÇO DE 2011 – Estabelece instruções sobre a participação de representante dos empregados nos conselhos de administração das empresas públicas e sociedades de economia mista, suas subsidiárias e controladas e demais empresas em que a União, direta ou indiretamente, detenha a maioria do capital social com direito a voto e dá outras providências. http://eleicaoca.petrobras.com.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=8A9E32FA31C0DA600131E24A75B256EE
 Art. 17. Será considerado eleito o candidato que obtiver maioria absoluta dos votos, não computados os votos em branco e os nulos.
REGULAMENTO ELEITORAL – Disciplina o processo da eleição do representante dos empregados para o Conselho de Administração, em cumprimento ao que estabelece a Lei 12.353/2010 e o artigo 19, inciso IV, do Estatuto Social da Petrobras. http://eleicaoca.petrobras.com.br/lumis/portal/file/fileDownload.jsp?fileId=8A9E32F935164E1E013519E89FF2056D
Nulidade das Eleições X Voto Nulo – https://petroleiro2020.wordpress.com/2012/02/12/a-fup-esta-com-medo-do-voto-direto-dos-trabalhadores-eleicao-ca-2012/#comment-243

E quanto à candidatura do Moraes, ela não representa nem os trabalhadores de nível médio e nem os de nível superior. No momento, ela representa todas as últimas derrotas dos trabalhadores em nossos ACTs e demais negociações.
A história da FUP e do Moraes não têm sido honradas em suas recentes atuações.

É uma pena que as vitórias da FUP têm significado a nossa derrota enquanto categoria.

Entendo, perfeitamente, a opção de muitos colegas pelo Moraes, pela FUP, pois, sem dúvida, a instituição organizou e beneficiou muitos trabalhadores em momentos ímpares na disputa política nacional e, diretamente, muitos foram defendidos e resgatados em parte de sua dignidade e são gratos a todos esses esforços. Sem dúvida, é difícil considerar, devido ao passado sombrio que se viveu e em que se esteve, avaliar que quem lhe estendeu a mão representa, agora, quem lhe desdenha. Aceitar este fato é muito frustrante, mas sem isso, não evoluiremos e continuaremos comparando o pior com o ruim sem criarmos as possibilidades para o bom e depois para o melhor e sem considerar os Resultados que os trabalhadores têm entregado ao Governo e ao País ao longo dos últimos anos.

Quando o governo negocia com o governo, “somente pelo trabalhador” e não para o trabalhador, temos perdido sempre.

Precisamos de Federações e Sindicatos independentes. Trabalhador tem que reivindicar quando a maré é favorável. A estrutura sindical pelega impede que os trabalhadores evoluam conforme suas contribuições ao País. No momento, mais se apropriam de partes das riquezas que caberiam, primeiro, aos trabalhadores.

Nesse segundo turno a alternativa, para quem votou, é o nosso colega Sílvio Sinedino.

E a alternativa, e o que é mais importante, para quem não votou, é votar: seja nulo, branco ou no Sílvio Sinedino e até . . . no Moraes.

Não se abstenha de votar. Demonstre, no voto, pela ação e não pela omissão, a sua posição.

Se a maioria dos 58.126 eleitores, por ação, votarem nulo, teremos uma inequívoca resposta ao “eleito”, seja quem for: sem nova eleição não há representação. No entanto, nem administrativamente e nem judicialmente, esta atuação tem efeito prático como, por exemplo, a anulação da eleição.

A questão será política, de legitimidade, de ação e força, da categoria, para exigir nova eleição.

Votem !!!

Entendo melhor, o voto no Sílvio Sinedino. Mas, por favor, votem !!!

E trabalhem para que consigamos mais votos na eleição como um todo, sejam os votos que forem !!!

Precisamos aumentar a participação para fortalecer a posição da categoria, seja ela qual for, e possibilitar uma futura integração em torno de seus interesses e suas necessidades.

Abraço a todos !!!

Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em Ações e Reações - Ataques e Contra-Ataques, Dirigentes Sindicais contra o trabalhador, Instrumentos e argumentos para o fortalecimento do trabalhador e marcado , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

12 respostas para Demonstre, no voto, pela ação e não pela omissão, a sua posição – Eleição 2012 – CA Petrobras

  1. Pingback: Eleição de Trabalhador CA_Petrobras_2013 – Declaração de Apoio e Voto em Sílvio Sinedino | Blog do Petroleiro 2020

  2. bordallo disse:

    Eleição CA: FUPirou!?!

    Vejam que verdadeiras pérolas a FUPelega colocou no seu ultimp informe, com o titulo de “Eleição para o C.A. Quem definiu o resultado?”

    “O resultado do primeiro turno da eleição, onde Moraes conquistou mais votos do que o primeiro e o segundo colocados juntos, deixou claro que a FUP é a maior força política da categoria.”
    => Como assim, cara pelega pálida? Mesmo com todas as vantagens de comunicação com o eleitor e concorrendo com o seu principal quadro de direção, apoiado por doze sindicatos de petroleiros, Petrobrás e até a Petros, Moraes teve somente 2.939 votos, menos de 5% do total dos empregados da Petrobrás no 1º turno!
    => Já os candidatos não classificados para o 2º turno tiveram expressivos 73,63 % dos votos validos no 1º turno. FUPirou!?! Sem noção mandou lembrança…

    “Para derrotar a candidatura que tinha o apoio dos trabalhadores das bases operacionais, os divisionistas construíram uma aliança com as gerências e os setores mais reacionários da empresa.”
    => Ora, todos sabem que o candidato chapa-branca fantoche é o Tunico de Moraes, apoiado pelo RH da Cia. Isso é que é ter apoio reacionário!!!

    “O candidato da FUP foi o mais votado em todas as bases da Federação e na grande maioria das unidades operacionais. Moraes também venceu em todos os estados do país, com exceção do Rio de Janeiro, onde estão lotados 31 mil trabalhadores, dos quais cerca de 70% são de nível superior, cujas ocupações são de setores administrativos, onde impera a maioria das gerências da Petrobrás.”
    => Que coisa feia da FUP, promovendo o tal divisionismo entre nivel médio e superior, que ela falsamente acusou acima…

    “Os gerentes entraram na disputa: “Enquanto acusavam a FUP de chapa branca e governista, os aliados de Sílvio Sinedino usavam e abusavam de seus cargos de confiança para coagirem os trabalhadores nos corredores dos prédios administrativos a votarem em seu candidato”.
    => Aqui os FUPelegos vestiram a carapuça de ” chapa branca governista” mas num desespero de causa e surto de conspiração paranoica, inventaram que as gerencias nitidamente governistas supostamente coagiram os empregados de nível superior a votarem no “inimigo” Sinedino!?! FUPirou feio de novo!!! Subestimou os empregados de nivel superior ao acusá-los de permitir o voto de cabresto, o que sabemos só se aplica aos eleitores analfabetos…

    “O resultado desta eleição, apesar de legítimo, não expressa a representação que deveria ter aquele que ocupa o único assento dos trabalhadores no Conselho de Administração.”
    => Até que enfim a FUP acertou uma. Aleluia Irmão! De fato, o nível de participação dos petroleiros na eleição do CA deixou muito a desejar…”perdidos em suas enganações diárias, fingindo-se muito ocupados, mas que com sua omissão, praticaram um gesto desamor à Petrobrás.”

  3. SINDIPETRO-RJ
    EDITORIAL – Venceu a democracia (na TRANSPETRO vote Jorge Braga)

    Em seu informativo após a eleição do Sinedino, a FUP afirma que:”Eleição para o Conselho de Administração (CA) da Petrobrás caracteriza a FUP como principal força política da categoria”. Ninguém entendeu a mensagem. Na democracia, terminada a eleição, não existem vencedores nem vencidos. Mas a base petroleira do Rio de Janeiro apoiou de braçadas nosso candidato.

    A vitória de Sílvio Sinedino aumenta ainda mais nossa responsabilidade. Sabemos que o resultado de uma eleição é conjuntural. Não podemos nos acomodar. Vamos trabalhar para interagir cada vez mais com a categoria.

    Para vencer a eleição do CA, usamos a principal arma dos trabalhadores: o apoio da base, que se envolveu na disputa. Discutimos a candidatura e o programa no sindicato; criamos um blog; divulgamos apoios de nossa base. Outro fator importante foi o apoio de vários candidatos do primeiro turno a Sinedino, dentre eles o terceiro (Ricardo Latgé) e o quarto candidatos mais votados (Agnelson Camilo). Mas todos os que se somaram a Sinedino foram fundamentais.

    A Aepet e o Sindipetro-RJ estiveram juntos e a Federação Nacional dos Petroleiros (FNP) se uniu à nossa candidatura, no segundo turno. Sabemos que grande parte do apoio a Sinedino resultou da indignação da maioria dos candidatos com as regras do jogo. Animados com a vitória, logo depois da apuração muitos companheiros procuraram Sinedino, com informações sobre o funcionamento do CA, outros querendo saber sobre a data da posse e a festa da vitória. O grau de interesse e participação é o resultado de um trabalho construído pela base. Temos a certeza de que esta será a marca de sua gestão no CA.

    Mas, nem tudo é festa: durante a eleição, alguns fatos lamentáveis ocorreram e precisam ser registrados. As páginas eletrônicas do Sindipetro-RJ foram várias vezes atacadas por hackers. Os ataques vinham de vários estados brasileiros. De sexta-feira a domingo, nos dias 2, 3 e 4 de março, às vésperas do término da eleição, os emails da campanha do Sinedino, enviados pelo Sindipetro-RJ, foram impedidos pelo servidor da Petrobrás de chegar aos petroleiros, em todo o Sistema Petrobrás. Temos tudo isso registrado: o que será que aconteceu?

    Ainda temos pela frente a eleição do CA da Transpetro. A direção do Sindipetro-RJ apoia o candidato Jorge Braga, da Bahia. Esperamos que os problemas identificados no processo eleitoral da Petrobrás, até lá, sejam superados.

    Porém, também observamos pontos positivos, como o debate realizado na Petrobrás pela Comissão Eleitoral, no segundo turno da eleição. Foi uma iniciativa democrática. Há quem diga que foi reflexo das reclamações da categoria.

    Nas eleições da Petros, a FUP vinha de duas derrotas consecutivas e acachapantes. Em 2011, a Comissão Eleitoral impediu o voto por correspondência – leia-se o voto dos aposentados. Com essa manobra, a dupla apoiada pela FUP conseguiu se eleger. Já na eleição para o Sindipetro-RJ, a chapa da FUP tentou anular as duas únicas urnas de aposentados (Angra e Rio de Janeiro). Conseguiu anular a de Angra, apostando que ganharia a eleição na ativa. Mas, diante da vitória do candidato do Sindipetro-RJ ao CA da Petrobrás, parece que a FUP terá que rever suas avaliações. Afinal, o voto dos aposentados não foi computado e ainda assim, perdeu.

    Nossa sugestão é a que FUP vista as sandálias da humildade e reconheça: sua força política está debilitada. Ao invés de alijar setores da categoria dos processos eleitorais, como costuma fazer com os aposentados, reveja seus métodos e faça autocrítica.

    • “PrimeiraMão” vira “RH Informa” 4 – Eleição CA/2012

      A nova mãozada na cara do trabalhador: Informe FUP – http://www.fup.org.br/email_geral/fup_885.pdf

      A FUP não está revendo seus métodos e nem calçando as sandálias da humildade, permanece querendo tachar todos trabalhadores que não votaram no MORAES como se fossem gerentes e privilegiados, e para isso, promove a fantasia de que, todos os votos que o SINEDINO recebeu foram de Gerentes e de empregados de nível superior das áreas administrativas, em oposição aos colegas não gerentes em cargos de nível médio das áreas operacionais.

      Todos sabem que não foi e nunca será isso, por mais que a FUP/RH queira promover a total divisão e preconceitos entre os trabalhadores para mais facilmente os controlar e os manter, todos, na condição de derrotados!!!

      Ainda, em seu informe, a FUP tenta tachar a mobilização cidadã e autônoma que se deu entre os empregados do Rio de Janeiro, em favor de Sinedino, como ação promovida em conluio com a opressão gerencial. Ao contrário, a opressão gerencial da FUP/RH, dos gerentes que a FUP nomeia, tanto na Companhia como nos Sindicatos, gerou a reação genuína dos trabalhadores: independência e autonomia dos trabalhadores já!!! Queremos nossos Sindicatos e Federações sem Patrão !!! Não ao candidato chapa branca!!!

      O mais triste é que a FUP está tendo que torcer os fatos e impedir que o debate seja realizado em mais alto nível. Devem ter avaliado que se nossos argumentos chegarem aos colegas que estão em bases sindicais, ainda sob o chicote da FUP, eles, mais rapidamente perderão essas bases para as oposições. Assim, como deixaram de ter argumentos começarão a pregar preconceito!!!

      Este informe expõe o preconceito dos diretores da FUP/RH contra todos os empregados que trabalham em atividades administrativas da Companhia, sejam em bases operacionais ou em bases administrativas. Portanto, pelo jeito, para a FUP/RH, trabalho, administrativo, não tem valor e, a maioria dos trabalhadores da Petrobras também não. Talvez, logo veremos a promoção de mais divisões com falas de demérito para algumas áreas de negócio da Companhia em detrimento de outras e a correspondente desvalorização de seus trabalhos e trabalhadores.

      O Sílvio Sinedino só não ganhou em todos os Estados, seja em bases administrativas ou operacionais, porque seus argumentos (e de todas as oposições) não chegaram para todos os trabalhadores, bem como porque a FUP/RH construiu um processo de votação, com prazo de uma semana, que impediu boa parte dos empregados das áreas operacionais de votar. Se tivessem tido a oportunidade de ouvir argumentos, que não os da FUP, e de votarem, o Sinedino teria aumentado sua vantagem de votos na eleição.

      A FUP não promoveu muito a eleição do CA em suas bases, pois considerava essa eleição já vencida por seu candidato MORAES, devido ao mesmo ser o único candidato com exposição nacional, o único candidato já conhecido nacionalmente pelos trabalhadores da Companhia, o único candidato na boca do ex-presidente da Companhia e da nova presidente, o único candidato com máquina eleitoral nacional, o único candidato com o envio de e-mail para todos os empregados da Petrobras, o único candidato que seria eleito, com vantagens, se não fosse a mobilização e participação cidadã dos trabalhadores do Sistema Petrobras.

      A FUP não promoveu o debate da eleição do CA em suas bases, porque sabia que se houvesse o aumento do interesse dos trabalhadores, quanto à eleição do CA, eles iriam procurar e considerar outras opiniões que não só dos informes da FUP, isto é, passariam a se interessar por opiniões e opções alternativas à FUP: as oposições, consistentemente crescentes, mais rapidamente cresceriam!!! A FUP, no segundo turno, escolheu arriscar perder a eleição do CA para não perder, rapidamente, a direção de vários sindicatos!!! Agora, ao que parece, desqualificará o debate, para confundir os trabalhadores e resistir aos argumentos das oposições, e continuará a impedir o debate direto e justo, da categoria, em seu site. É uma pena que instituição tão importante na história dos trabalhadores se apequene da forma como estamos vendo. Já passou da hora de mudar. A cada momento os danos aumentam e os trabalhadores mais perdem. Temos que mudar para fazer que mudem.

      Olhem o comentário do colega: FUPirou – https://petroleiro2020.wordpress.com/2012/02/28/demonstre-no-voto-pela-acao-e-nao-pela-omissao-a-sua-posicao-eleicao-2012-ca-petrobras/#comment-267

  4. Resultado das eleições 2012 para representante dos empregados no Conselho de Administração da Petrobras

    Sílvio Sinedino venceu a eleição para ser o representante dos trabalhadores no Conselho de Administração da Petrobras.

    Quadro de Votação – Resultado das Eleições
    Sinedino – 6972 votos
    Moraes – 6105 votos
    Nulo – 873 votos
    Branco – 176 votos

    Parabéns a todos os candidatos e eleitores!!!!
    Começamos a reconstruir a participação dos empregados em suas Associações, Sindicatos, Federações e na PETROBRÁS !!!

    • bordallo disse:

      A FUP no seu informe sobre o resultado da eleição se auto intitula “a principal força politica da categoria”. Como assim cara palida?

      Provavelmente eles estavam tão certo de ganhar a eleição que já haviam preparado o seu Informe se achando “a principal força politica da categoria”, mas as urnas mostrou exatamente ao contrário!

      Sem querer tirar o brilho e os méritos do histórico de luta e qualificações de liderança do Sinedino que o levaram a essa virada histórica, vejo essa sua vitória com outros aspectos relevantes, saber:

      1º) Rejeição e isolamento da FUP e das relações promiscuas de peleguismo explícito, do troca a troca de poder com o RH da Cia;

      2ª) Vitória e fortalecimento da instituição AEPET (do qual Sinedino é Presidente) e maior reconhecimento da efetiva representatividade da FNP junto a categoria petroleira

      3º) Embora a FUP tenha a maioria quantitativa dos sindicatos sob o seu frágil poder, mais essa derrota mesmo com todo apoio da maquina institucional que a “patrocinou” nesse viciado processo de eleição do CA, a coloca como “minoritária e menos representativa força politica da categoria”, abaixo da FNP e da AEPET.

      Parabéns Silvio! Parabens a todos os petroleiros que elegeram …
      …Alguem com representatividade, de oposição responsável, de crítica opinião,
      Assim, nossa participação no CA não passará em branco, não passará em vão”.

      “Sonhar mais um sonho impossível / Lutar quando é fácil ceder / Vencer o inimigo invencível / Negar quando a regra é vender”

      “E assim, seja lá como for / Vai ter fim a infinita aflição /E o mundo vai ver uma flor /Brotar do impossível chão”

  5. bordallo disse:

    O QUE QUEREMOS COMO REPRESENTANTE DOS EMPREGADOS NO CA:
    (by Mendes_Regap)

    De alguem com representatividade, de oposição responsavel, de oponião,
    Para que seu mandato no CA não passe em branco, não passe em vão…

    (*) Como o Sinedino, presidente da AEPET e representante dos empregados no Conselho da Petros, em ambos eleito por votação direta de seus membros

    O QUE NÃO QUEREMOS NO CA:
    De candidatos chapa branca, fantoche, pelego, do tipo “cahorrinho de madame”, saido debaixo do pano,
    Mas que só sabe abanar o rabo e obedecer servilmente de forna graciosa, qualquer ordem do seu dono(a).

    Repasse ainda hoje essa msg para 10 colegas seus e os estimulem a votar no CA, pois 2ª feira é o ultimo dia!

    Como disse Geraldo Vandre, “ESPERAR NÃO É SABER
    QUEM SABE FAZ A HORA NÃO ESPERA ACONTECER…”

  6. http://apetrobrasquequeremos.com/2012/03/03/diga-nao-ao-candidato-fantoche-e-do-deboche-%E3%80%80/

    Diga não ao candidato fantoche e do deboche  

    Posted 3 03America/Sao_Paulo março 03America/Sao_Paulo 2012 by apetrobrasquequeremos in ELEIÇÃO CA, Quem apóia Silvio Sinedino no CA. 2 Comentários

    Colegas,
    se considerarmos os votos dos candidatos do 1º turno que já manifestaram apoio ao Silvio Sinedino, a diferença a favor do Sinedino sobre o candidato da FUP seria de 1.164 votos.

    Os candidatos não classificados para o 2º turno tiveram expressivos 73,63 % dos votos validos no 1º turno.

    E os 13 candidatos da AEPET que se inscreveram no 1º turno, obtiveram juntos mais votos do que o candidato da FUP!!!
    Daí a importância de se buscar apoio ao Sinedino, Presidente da AEPET, junto a todos os candidatos não classificados p/ o 2º turno.

    O mais importante é que a categoria em peso imponha uma grande derrota ao candidato chapa branca no 2º turno.
    Fazendo as contas, o Sinedino, 2º colocado, teve 1.376 votos no 1º turno.

    O Latgé**, candidato do Diretor Estrella e 3º colocado e que apoia o Sinedino, teve 1.150 que somados aos votos do Sinedino, totalizam 2.526.

    O Agnelson Silva* – 4º colocado no 1º turno com 766 votos – também apoia Sinedino. Logo, somando-se os 3 citados, já teremos 3.292 votos

    (*) Agnelson, diretor-secretário do Sindipetro PA/AM/MA/AP, diretor da FNP e conselheiro suplente da Petros, é um dos dirigentes mais combativos e experientes do movimento sindical petroleiro, com larga experiência nas questões que envolvem a Petros e AMS. Agnelson foi um dos candidato da FNP por sintetizar seu programa e identidade: independência frente a qualquer Governo, frente à direção da empresa.

    O Oscar Cesar (5º – 429 votos) parece que está neutro, pregando o voto em branco mas pelo menos é menos 1 apoiando o candidato fantoche chapa branca, Rosivaldo, 7º colocado (389 votos) tb apoia o Sinedino.
    Os candidatos Ricardo Lomba E-P (12º / 216 votos) e Sinval Transpetro (13º/206 votos) também já manifestaram publicamente seu apoio ao Sinedino no 2º Turno, no Blog da Campanha* do Sinedino.
    fonte: http://apetrobrasquequeremos.com/2012/02/28/ricardo-latge-apoia-sinedino-no-2-turno/#comments

    Assim, 3.292 (Sinedino-Latgé-Agnelson) + 389 Rosivaldo) + 216 (Lomba) + 206 Sinval) => 4.103

    O Moraes teve 2.939. Logo, a diferença a favor do Sinedino & candidatos parceiros já é de 1.164 votos.

    Aguardamos a oportuna manifestação pública dos demais melhores candidatos classificados no 1º turno, a saber:

    6º) Pedro Augusto Bonesio 420
    8º) REBECCA ALBUQUERQUE VASCONCELOS 270
    9º) Carmen Heloisa Cortes Telles 237
    10º) Wellington Geraldo Bezerra 233
    11º) Flavio Jose Soares Dias 231

    Com seu apoio o CA terá um nosso destino
    Todo por um – todos com Sinedino!
    Assim, precisamos do seu voto e buscar manifestações de apoio junto aos demais candidatos do 1º turno e derrotar o candidato “Chapa Branca” Moraes!

     
    Link p/ site da elição CA => hotsite => http://eleicaoca.petrobras.com.br/hotsite/petrobras/principal/home.htm
     
    Diga não ao candidato fantoche e do deboche.
    O Conselho já tem destino, todos com Sinedino!

    • bordallo disse:

      Vale observar que os 1.164 votos da coalizão Sinedino, já representam 40% a mais que os votos dado ao Moraes no 1º turno.

      É claro que trata-se de dados visando projeção de possíveis cenários apoio x rejeição para o 2º Turno.

      Logo, não se está pressupondo voto de cabresto* dos que votaram no 1º turno nos seus candidatos e muito menos não se está cantando vitória antes do tempo.

      (*) pois como bem disse o Candidato Bezerra, os candidatos não são donos dos votos que obtiveram no 1º turno

      O que se quer é demostrar com fatos e dados, o isolamento do candidato fantoche e rejeição a FUP de seus métodos condenáveis de peleguismo explícito com o poder constituido na Cia, cuja caso mais grave foi o acordo Petros, que toda a categoria foi enrolada com a promessa de pronto pagamento da divida acordada da PETROS pela Cia, com farto e generoso desconto, mas que depois se revelou que só ocorrerá daqui a duzentos anos…

      Daí, o pedido de apoio ao candidato independente Sinedino, presidente da AEPET e Conselheiro eleito da Petros.com longo histórico de luta e independencia a favor da Petrobras e dos petroleiros.

      • http://sindipetrolp.tempsite.ws/site/?p=11870&cpage=1#comment-6015

        http://apetrobrasquequeremos.com/2012/03/04/o-papel-do-representante-dos-empregados-no-ca-por-antonio-martins/comment-page-1/#comment-38

        Caros, é fundamental votar, exercer esse direito, prerrogativa, de influenciar, eleitoralmente e politicamente, os rumos de nossa Companhia, nossa PETROBRÁS.

        A eleição de um representante, nosso, para o Conselho de Administração da maior empresa da América Latina, das maiores Petroleiras do mundo, é uma oportunidade ímpar para toda a classe trabalhadora, isto é, não é só importante para a categoria petroleira. Talvez, seja mais importante para todas as demais categorias de trabalhadores e para o País.

        Uma representação dos trabalhadores no Conselho de Administração da PETROBRÁS é o início para o desenvolvimento de uma gestão mais cidadã e democrática, em que os conceitos de Responsabilidade Social possam, de fato, passar a fazer parte da forma de fazer negócios em nosso país, para que os negócios tenham como premissa a melhoria da vida dos trabalhadores e cidadãos considerando as necessidades de preservação de boas condições para as novas gerações.

        Para isso, vote!

        No primeiro turno, votei no Agnelsom Camilo.
        Agora, no segundo turno, votei no Sinedino.
        Peço e recomendo que vote no Sinedino.

  7. O filtro do debate.

    Vai ficar difícil haver equilíbrio entre as candidaturas já que os comentários e a propaganda política, com todos os fatos e questões POLÍTICAS vinculadas, estarão sob julgamento prévio da Comissão Eleitoral.

    Assim, conforme interesses POLÍTICOS aplicarão as “Regras”, “Códigos” e “Leis” a todos aqueles que criticarem seus amigos e candidatos. Tipificarão os debates políticos como ofensas a pessoas, gerências, áreas, empresas, órgãos ou quaisquer outras instituições. E penalizarão todos aqueles que vierem a se posicionar e, politicamente, disputar idéias e ideais.

    As críticas à ação técnica-política de qualquer área da Companhia, ou dessa forma enquadrada, classificada, tipificada, já impedirá o debate, logo de cara. Se criticar algumas práticas de RH, poderão considerar estar criticando o Gerente Executivo de RH, . . . vetarão. Se criticar membro da comissão eleitoral, vetarão. Se criticar qualquer política da Companhia, vetarão. Se criticar suas diretrizes, vetarão. Se criticar até o adversário, vetarão? Então, como candidatos e eleitores terão um espaço livre para o embate e a nova construção?

    Entender e classificar a crítica à políticas da Companhia como intenção de dano é impedir o debate quanto aos rumos da Companhia. É restringir o julgamento e opinião do trabalhador. É julgar, a priori, as intenções como danosas.

    Este papel, do julgamento de como se deve dar o embate político, que limites os mesmos devem preservar, é dos mais difíceis, pois, a subjetividade do que poderá ser considerado ofensivo censura o debate. Por isso, uma avaliação prévia do que poderá compor o debate somente deveria tratar de questões objetivas, formais, isto é, por exemplo: uso de palavrão, imputação de crime a outros, apresentação de dados e informações sigilosas. Todo o resto de julgamentos do que seja ofensivo, denúncia, acusação, são juízos de valor que não cabem à Comissão Eleitoral realizar, ou não deveriam caber. No momento, poderemos ter considerado que seja ofensivo indicar que fulano é da FUP, da FNP, da AEPET, o que, de fato, não há nada de ofensivo nessa fala. Que o outro é divisionista, outro é pelego, outro é vendido, interesseiro etc. Nada disso, mesmo que ofensivo para um ou para outro, não pode impedir que as partes qualifiquem e desqualifiquem, aliados e adversários, respectivamente. A eleição, a disputa, requer o debate e a exposição de motivos de todas as partes (candidatos e eleitores), com opiniões contrárias, de parte a parte, e, muitas vezes ofensivas ao olhar de diferentes. Sem essa exposição, não há eleição, só censura, vazio e opressão. A democracia pressupõe espaço para a resolução dos conflitos, e assim, só a partir da exposição dos mesmos, e da caracterização de sua existência, possibilitará o encaminhamento para a criação de soluções para o conflito.

    A Companhia tem que criar esse espaço de debate. A eleição é um aprendizado que demonstra a quantas anda a pressão da panela Petrobras.

    http://forum.petrobras.com.br/jforumbr/posts/list/15606.svlt

COMENTÁRIOS? Os faça no quadro abaixo. Caso queira responder a um comentário já realizado, clique no link "Responder" do respectivo comentário.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s